P51D Petie (V8 FMS 1450mm)

Posted: 27th June 2017 by Corsi in Aeromodelismo
Tags: , , , ,

Quando eu vi  este modelo pela primeira vez, confesso que fiquei curioso para saber como seria o seu voo… sera que seria difícil? Resposta..Não!

O kit é da FMS, série 1400mm ,kit PNP ( o mais completo do fabricante). Alias, uma observação sobre os kits PNP : vale muiiiiito apena!!!  Depois de anos montando parte elétrica, estrutural e acabamento, achei que tudo depende da sua capacidade e estado de espirito atual para decidir se pega um kit PNP o qual é mais caro ou se rende ao tradicional ARF (almost ready to fly) tendo que perder um tempo considerável em montar tudo do zero.

Sobre o KIT:

Belíssimo acabamento, detalhes e uma incrível facilidade em montar as poucas partes restantes, o qual se resume basicamente em : asas, fuselagem, profundor, leme e linkagem. O kit é para bateria de 4S  com originalmente 2600ma 25C, porem eu tenho uma bateria de 4s com 4.000 ma 60C. Absolutamente nenhuma problema para comportar uma bateria dessa ou até maior, pois o espaço é o que mais tem esse kit.

Possui um belo trem de pouso retrátil,  forte e robusto com amortecedores que ao meu ver, podem aguentar decolagem e pouso em grana sem nenhum problema. Sem falar da sequencia de abrir e fechar o compartimento de portas….demais!

Kit FMS P51d PNP

O manual ajuda bastante, porem algumas coisas sempre não são devidamente “reveladas”, levando a experiencia do aeromodelista a quase um estado de “vidente” …heheheh

O Voo:

Ha sim….meu maior medo era sobre o CG. Como minha bateria é quase o dobro da especificada pela fabricante, logo pensei em ter sérios problemas para achar o CG correto. Foi moleza!!!

Na Verdade, o esse tipo de aeromodelo, tem uma tolerância absurda de CG! O que eu quero dizer é que: mesmo colocando um peso muito superior no mesmo CG, o aeromodelo mantem seu equilíbrio sem precisar alterar praticamente nada a posição da bateria…no meu caso, eu não mexi um milimetro para regular o CG. Claro que esse é um caso raro e exclusivo, pois todos os aeromodelistas sabem que isso não é uma regra e sim uma bela de uma exceção.

Sendo assim, fiz a checagem final , fui pra pista e mesmo com os dedos tremendo, sem saber o que vai acontecer…acelerei e…..Tã nã! Oremos para poder voltar inteiro na pista!

Eu achei o Voo extremamente dócil..fácil e previsível. Não tive nenhum momento se quer de dificuldade ou problemas com a trimagem. O motor de fábrica não é muito rápido, porem tem um torque bem forte, isso justifica a capacidade de empuxo bem alta, o qual pode carregar muito peso.

Depois de quase 9 minutos no ar e ainda com 50% de bateria, resolvi fazer o procedimento de aterrizagem, pois por ser  o primeiro voo, melhor poupar o coração para o pouso…utilizei os flaps no máximo e o avião nem alterou seu angulo de ataque, fazendo com que eu pudesse ter a certeza que aquele aero iria chegar inteiro na pista…

A única coisa que eu pude notar é que: Assim como meus jatos, o P51D precisa de motor em uma rotação considerável para poder pousar, ele não é o tipico avião que você pode abaixar rapidamente o motor… ele com certeza perde muita sustentação  rapidamente do que os demais aeros.  Mas no resumo, é um excelente avião escala, muito fácil de se controlar e sem nenhum stress para o piloto! Pura diversão!

Até a proxima!

Bom, na ultima atualização , eu já havia colocado as dobradiças na asa e junto a ela, os flaps e ailerons. Agora , irei terminar a montagem da asa com todo o mecanismo de trem de pouso .

O primeiro item que eu escolhi, foi  o aileron. Com os servos , Turnigy 620dmg HS, irei fazer os ailerons, profundor e leme. Já para os retrateis, usarei o BMS-136MG Blue Bird.

Segue a sequencia da montagem dos Ailerons:

     

 

Aqui, tive que cortar o lado não utilizado do braço servo para não danificar a entelagem da asa.

 

Com os links passados por dentro da asa, eu agora posso unir as duas partes .

 

Detalhe do servo retrátil na asa: os últimos 2cm de cada link foi curvado conforme o manual havia descrito, mas confesso que eu meu amigo sofremos para acertar o giro do servo x posição do trem de pouso…


 

Os Servos dos ailerons precisam de um tratamento especial, antes de serem colocados dentro da asa, é necessário cortar um dos braços do servo para evitar que o mesmo danifique a entelagem da asa.

     

Flaps:

O servo do flap é de fácil encaixe e muito simples de configurar. A parte que talvez que exija mais atenção nesse processo é a montagem da linkagem em Y e o alinhamento dos flaps com o braço do servo.

E com isso finalizamos asa.

Próxima atualização, montante do motor e fuselagem.

Até lá!